segunda-feira, 6 de outubro de 2008


A minha terra e os seus ventos





Foto de:

Regina Céu Fernandes












A minha terra e os seus ventos


Cá na encosta da serra,
Onde o vento é presente
Como quem enfrenta a guerra
É o dia-a-dia da gente

Vindo do alto da serra
Bate forte em todo o lado
É assim na minha terra
Mas ninguém sente o enfado


Não grites assim tão forte
Não te exaltes contra mim
Pois eu também sou do Norte
Donde tu vens também eu vim

Tu derrubas castanheiros
Até levantas telhados
Tu berras pelos outeiros
Fustigando os desabrigados

Consente, ó vento, que eu passe
Até ao alto da serra
Mas não me batas na face
Pois eu sou da tua terra

Tu és nosso, és do Norte
És oriundo da serra
Tu és valente e forte
És filho da minha terra


António Bernardo Pereira
Rebordainhos, 17 de Março de 2005

8 comentários:

Fátima disse...

Antes de mais, parabéns ao Sr. antónio por estas quadras tão alegres.

Depois, parabéns à Céu, que publicou tudo muito bem e até foi capaz de inserir uma belíssima fotografia.

Augusta disse...

Parabéns sr. António. Será que estas quadras são dedicadas ao vento a que a gente de Rebordaínhos chama de "seca silvas"?
Independentemente do tipo de vento a que se destinam, estas quadras são demonstrativas do amor que alguém, apesar de ausente, nutre pela terra que o viu nascer.
Continue e um beijinho
Augusta do João Fouce

J. Stocker disse...

Parabéns ao Sr. António, pelos versos pela fundação da ASCRR e pelo carinho que nutre pela sua TERRA.
Que me perdoem os restantes membros da ASCRR, mas a Regina está de parabéns, publica , insere fotos e colabora com tudo e todos, não só neste blog como também no Rebordainhos, o nosso muito obrigado a ela!
Vamos lá meus senhores da Direcção da ASCRR, vamos a comentar aqui e a darem noticias do vosso trabalho e dos vossos projectos a curto e médio prazo, vá vamos lá isto não custa nada e a Regina concerteza que vos ajuda.
Um abraço para todos

J. Stocker disse...

Augusta

Explica lá e este forasteiro qual a direcção do "seca silvas" será que é de SE? se assim for é o Suão de cá de baixo.
E já agora se estiver alguém na "recoca" aí pela Aldeia, diga lá como estão as Castanhas, será que no dia 1 de Novembro já terão caido algumas?

Lurdes disse...

Para o meu tio António, simplesmente lindo gostei muito de ler... Parabéns!!

Para o João, eu estou pela aldeia, quanto às castanhas eu acho que sim que vai haver castanhas para o magusto do dia 1 de Novembro desde que me lembro sempre houve castanhas nesse dia...
que saudades daqueles magustos que se faziam no souto de casa só se levavam as bebidas, as raparigas apanhavam as castanhas e os rapazes acendiam o lume para as assar, no final regressávamos à aldeia todos contentes!!!

Lurdes

Augusta disse...

Este vento vem de Espanha. Há quem diga que é o vento Burguês. Aquele que mata o espanhol e f.... o português.
Beijos

céu disse...

Augusta

Fizeste bem explicares o significado do "seca silvas", eu não conhecia a expressão.
Razão tem o Filinto quando diz que "a vida não se aprende nos livros, aprende-se no blog de Rebordainhos"!!!!!!!!
E olha que eu já aprendi muito.
Beijinho
Céu

Augusta disse...

Agora a explicação mais científica. Trata-se efectivamente do vento Suão ou Sieiro. É um vento continental, frio e seco.
Satisfeito?
Acho que cumpri o meu papel.
Beijinhos